VOZ INTELIGENTE É A QUE DENUNCIA O RACISMO!

Nas últimas semanas, parte da sociedade brasileira que luta contra o racismo, vem se posicionando contra a nova série da rede globo de televisão intitulada o “Sexo e as Nega”, de autoria de Miguel Falabella. Esta série traz um conteúdo machista, sexista e elitista, que reproduz estereótipos que desvalorizam as mulheres negras, nos tratando como objeto sexual e em condição subalterna em várias dimensões da vida social, econômica e política.

Mais uma vez fomos surpreendidas quando a Faculdade Zumbi dos Palmares, situada em São Paulo, “convidou” o autor da série “O Sexo e as negas” para participar do Prêmio Raça Negra. Nós da Articulação de Mulheres Brasileiras nos sentimos mais uma vez violentadas pela iniciativa da Faculdade Zumbi dos Palmares em convidar Miguel Falabella. É lamentável que uma faculdade com este nome seja conivente e incentivadora do racismo contra as mulheres negras.

Antes mesmo do início da série e mais ainda quando ela iniciou, mulheres negras organizadas, que sentem na pele o peso do racismo, do sexismo e da pobreza manifestaram-se contra a nova atração, que é adaptação de um programa enlatado dos Estados Unidos que retrata o cotidiano de mulheres brancas da classe média.

Lamentavelmente, o autor da série depois do convite à premiação, afirma que finalmente “as vozes inteligentes começam a se manifestar”. E por acaso a reflexão das mulheres negras que se manifestaram anteriormente não são inteligentes? Será que as vozes inteligentes são aquelas que defendem o racismo e o sexismo? A nosso ver, essas reflexões são elaboradas a partir da dura realidade vivida com outras mulheres negras e que tem representado canal de denúncia das violências sofridas cotidianamente; reflexões fruto também da articulação política que tem contribuído diretamente para a implementação de políticas públicas, embora poucas, mas significativas na construção de uma sociedade mais justa e democrática.

Compreendemos que desconsiderar nossas vozes representa mais uma violação e invisibilidade política das mulheres negras organizadas ou não, que reiteradamente levantam suas vozes para dizer NÃO a mais uma expressão do racismo à brasileira!

Articulação de Mulheres Brasileiras
Serra – Espírito Santo
20/09/2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *